segunda-feira, 19 de fevereiro de 2024

LOUCA OBSESSÃO

título original: Misery
título brasileiro: Louca Obsessão
ano de lançamento: 1990
país: Estados Unidos
elenco principal: James Caan, Kathy Bates, Richard Farnsworth
direção: Rob Reiner
roteiro: Stephen King (autor do texto original) e William Goldman

O escritor Paul Sheldon terminou um livro sobre uma personagem chamada Misery Chastain, que já protagonizou 8 histórias dele. Mas ele decidiu parar de falar sobre essa heroína daqui pra frente, resolvido a escrever histórias com outros temas.
Ao terminar o livro, ele pega o carro e começa a atravessar uma estrada de uma montanha do Colorado durante uma nevasca... Conclusão: ele perde a direção e cai do alto de uma ladeira.
Uma enfermeira chamada Annie Wilkes se aproxima do carro acidentado e recolhe o Paul, levando ele pra casa no meio da floresta onde ela mora sozinha...

Louca Obsessão foi inspirado no livro Misery, lançado pelo Stephen King em 1987.
Muitos atores foram convidados pra interpretar o Paul. Mas quase todos rejeitaram, já que o personagem funcionaria quase como um objeto imóvel durante a maior parte do filme.
A atriz Kathy Bates, que interpretou a vilã, ganhou o Oscar de Melhor Atriz por Louca Obsessão.
Aliás, provavelmente o que desperta mais discussão aqui é exatamente a personalidade da vilã.
Ela é equivocadamente chamada de “psicopata” por alguns críticos. Mas um psicopata é incapaz de se apaixonar por alguém ou por alguma coisa da forma como ela se apaixonou pelos livros que contavam a história da Misery.
Quem se apaixona por alguém ou por alguma coisa de uma forma obsessiva e compulsiva quase sempre é borderline.
Aliás, durante o desenrolar do filme, ela demonstra todos os sintomas de personalidade borderline: ela começa como uma figura amável e vai ficando cada vez mais odiosa conforme o tempo vai passando, ela tem um comportamento histérico frequente, ela se descontrola completamente quando alguém contradiz uma opinião dela ou quando alguém deixa de fazer 100% do que ela esperava, ela acredita com certeza absoluta que ela faz parte da vida íntima de uma pessoa que ela nunca viu antes e que nem sabia que ela existia, ela manifesta um medo obsessivo de que a pessoa que ela “ama” se afaste dela, ela se vê como a única pessoa no Mundo que sabe cuidar da pessoa que ela “ama”, ela se acha feia com extrema frequência e ela já tentou se matar e continua pensando no assunto.
Claro que essa personagem já é um caso extremo de personalidade borderline e claro que a coisa aqui foi adaptada pra se enquadrar no roteiro de um filme de terror. Mas acho interessante discutir esse assunto, porque tenho visto nos últimos tempos algumas pessoas, inclusive psiquiatras, romantizando a personalidade borderline. E honestamente e com toda a sinceridade, isso muito errado. Esse não é um tipo de pessoa com quem dá pra você conviver numa boa.
Se você chegar diante de uma borderline e disser simplesmente que você não concorda com alguma coisa que ela disse, isso já é o suficiente pra ela sair gritando, batendo portas, xingando você de tudo quanto é nome e mandando você pra tudo quanto é lugar!
Mas tem gente que tenta defender:

“Ah! Mas pessoas que são borderlines frequentemente procuram o meio artístico, se tornam grandes artistas, se mostram completamente dedicados...”

Sim. Porque, na arte, você encontra espaço pra cometer os exageros que você quiser sem ninguém (ou quase ninguém) estranhar. E com uma personalidade exagerada você consegue se dedicar completamente a uma causa.
Mas quando se trata de conviver com alguém assim na vida íntima, a coisa se torna caótica.
Então, eu não vejo nada a romantizar no comportamento de uma pessoa assim.
Bom, mais informações sobre Louca Obsessão? Lá vai:


ATENÇÃO: esse post é inédito! Não consta na Bússola do Terror!
Até a próxima!
Brasil 2024: tempo de pensar no que é melhor pra sua cidade.

sábado, 17 de fevereiro de 2024

50 ANOS DE NASCE UM MONSTRO


Em Abril vão se completar 50 anos do lançamento de Nasce um Monstro.
Assim, pra marcar a data, decidi fazer um post lembrando algumas curiosidades sobre o filme:

O filme ia ser lançado nos Estados Unidos a princípio com o título de Baby Killer. Mas depois mudaram pra It’s Alive.
Houve uma clara intenção de homenagear o filme Frankenstein (1931).
Por exemplo, o próprio título do filme em Inglês é a frase que o Dr. Henry Frankenstein grita quando percebe que o monstro adquiriu vida: “It’s Alive!”.
E o nome do personagem principal é Frank, também em homenagem ao nome Frankenstein.
Embora o Larry Cohen não tenha declarado isso explicitamente em nenhuma entrevista conhecida, muito provavelmente ele se inspirou até um certo ponto em O Bebê de Rosemary (1968) pra escrever e dirigir Nasce um Monstro.
Acontece que, na última cena do filme de 1968, quando a heroína da história olha pro bebê no berço pouco depois que ele nasceu, ela se apavora completamente. E embora a câmera nunca mostre o que ela viu, fica evidente que a criança nasceu com uma aparência monstruosa.
Essa cena chocou extremamente o público da época. Exatamente porque, como o monstrinho ali nunca foi mostrado, cada um enxergou o que quis na sua própria imaginação.
Dessa forma, é bem possível que o nosso diretor e roteirista aqui tenha se aproveitado do horror que o público ainda sentia no início dos anos 70 ao pensar num bebê de aspecto monstruoso, decidindo assim fazer um filme sobre um.
Pra criar a imagem do bebê mutante, o Larry Cohen teve a ideia de fazer uma versão mais monstruosa do feto visto no encerramento de 2001 – Uma Odisseia no Espaço (1968).
A princípio, ele pensou em usar um gato fantasiado pra interpretar o bebê monstruoso. Mas abandonou a ideia logo depois.
Nas poucas cenas em que o bebê aparece, ele foi interpretado por um simples boneco sem movimento próprio. Mas, pra fazer as cenas em que a criatura precisava aparecer se mexendo, foi criado um traje um pouco maior, mas com a mesma aparência do boneco, que foi usado pela atriz Elaine Alexander (o traje só cobria a atriz da cabeça até o tórax).
Na última cena em que o Frank entra no quarto que deveria ser do bebê, vemos a imagem de um homem, aparentemente sentado no chão do quarto, refletida no espelho... Quem era?
Era alguém da equipe técnica: isso foi só um erro de filmagem mesmo.
Na cena final, quando o Frank aparece carregando o bebê no colo enrolado num casaco, era um cachorro que o ator John Ryan tava segurando pra fazer a cena (não deu pra usar o boneco nessa cena porque o vulto abrigado pelo casaco tinha que aparecer se mexendo).
A capa da versão em VHS que o filme recebeu no Brasil mostra um monstro obeso que não aparece no filme.
Nasce um Monstro abriu as portas pra uma franquia com mais 2 filmes (1978 e 1987).
O 2º filme é uma continuação direta do 1º e segue o mesmo estilo de terror sério. Mas o 3º, embora tenha o mesmo tema, tem pouca ligação com a história dos outros filmes e fica meio em cima do muro entre contar uma história séria e fazer uma comédia de terror.
O único personagem que aparece nos 3 filmes é um policial chamado Perkins. E 2 personagens vistos no 2º filme são só superficialmente mencionados numa cena do 3º.
Desde os primeiros anos do século existiam conversas sobre fazer um remake de Nasce um Monstro. Mas algo parecido com isso só aconteceu em 2009, 35 anos depois do filme original, quando o Josef Rusnak lançou Anjo Maldito.
Só que isso não foi um remake, e sim um reboot de Nasce um Monstro, já que a história foi toda bastante mudada.

👹👹👹

Outras vezes em que o blog já falou sobre...

ANJO MALDITO



NASCE UM MONSTRO




Até a próxima!
Brasil 2024: tempo de pensar no que é melhor pra sua cidade.

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2024

GREMLINS

títulos original e brasileiro: Gremlins
ano de lançamento: 1984
país: Estados Unidos
elenco principal: Hoyt Axton, Phoebe Cates, Zach Galligan
direção: Joe Dante
roteiro: Chris Columbus

Um autoproclamado inventor chamado Randall tá andando por um bairro chinês na Véspera de Natal à procura de um presente pro filho dele, chamado Billy.
Depois de chegar a uma loja de antiguidades administrada por um idoso e pelo neto dele, o Randall escuta um barulho estranho dentro de uma gaiola. E se aproximando, ele vê uma criatura parecida com um bichinho de pelúcia lá dentro. E o menino explica que aquilo é um mogwai.
O Randall decide comprar o bichinho pro filho dele. Mas o velho responde que ter um mogwai exige muitas responsabilidades. E assim, ele não vai vender por preço nenhum, embora o Randall ofereça até U$ 200,00!
O menino, entretanto, se deslumbra com a proposta. E assim que o avô se afasta, ele vende o mogwai pro Randall.
Mesmo assim, o menino adverte o Randall sobre 3 regras indispensáveis pra criar uma criatura daquela espécie: nunca expor o mogwai à luz forte (porque isso mata ele), nunca molhar ele e nunca dar comida a ele depois de meia-noite.
E o Randall vai embora feliz da vida, sem saber que a palavra “mogwai” em Chinês significa “monstro”...

Muita gente pensa que o diretor de Gremlins foi o Steven Spielberg... Bom, tecnicamente, ele foi o produtor executivo do filme. Mas ele realmente deu alguns toques na direção.
Completando 40 anos esse ano, esse filme foi projetado desde o início pra ser uma comédia de terror. Mas, conforme o projeto foi avançando, muitas cenas de terror originais foram sendo cortadas, ao mesmo tempo em que o lado da comédia foi sendo mais desenvolvido.
Sendo mais exato, tava previsto que os gremlins cometeriam atos de violência muito mais extremos. Mas o diretor tirou uma boa parte disso, pensando em criar um filme de terror light ao qual o público infantil pudesse ter acesso.
A princípio, tava previsto que todos os mogwais se transformariam em gremlins maus quando comessem depois de meia-noite. Mas o Steven Spielberg insistiu pra que pelo menos 1 (o Gizmo) continuasse bonzinho durante o filme todo. E isso parece ter agradado muito ao público, pois o bichinho virou um pequeno herói entre as crianças dos anos 80...
Durante todo o desenrolar da história, a criaturinha se mostra bastante simpática e demonstra grande afetividade pela família que adotou ela. Principalmente pelo Billy.
O fofucho Gizmo parece entender claramente tudo o que os humanos falam, embora responda apenas ruídos e o que parecem ser algumas palavras soltas de outra língua.
E a aparência dele foi inspirada na aparência dos simpáticos cachorrinhos da raça spaniel japonês.
Gremlins também deixa algumas situações no ar.
Acho que a principal é a regra de não dar comida aos mogwais depois de meia-noite. Afinal, até que horas esse “depois de meia-noite” dura?
Teria que ser determinado o horário em que eles podem voltar a ser alimentados, como 6h da manhã, por exemplo (aí seria: não se pode dar comida aos mogwais entre meia-noite e 6h da manhã).
Quanto aos efeitos especiais, foram os melhores que a época tinha condições de oferecer. Embora algumas coisas específicas pareçam meio datadas pra nós hoje, a maioria dos efeitos ainda funcionam bem.
Gremlins chamou tanta atenção ao ser lançado que a gente percebe um certo aumento na quantidade de filmes de terror que, em maior ou menor grau, contavam com a presença de minimonstros na 2ª metade dos anos 80. Por exemplo, Attack of the Beast Creatures (1985), Criação Monstruosa, O Portão (ambos de 1987), Brinquedo Assassino e O Rato-Humano (ambos de 1988).
Gremlins também traz um easter egg da Máquina do Tempo (1960), mostrando o referido aparelho numa cena rápida em que o Randall tá falando ao telefone.
Gremlins teve um filme de longa-metragem (1990) como continuação e um seriado animado (2023) como pré-sequência.
Mais informações sobre o filme de 1984? Lá vai:


E dê uma clicada aí do lado em ‘criaturas subterrâneas’ pra ver um post sobre A Máquina do Tempo e em ‘minimonstros’ pra ver posts sobre Attack of the Beast Creatures, Brinquedo Assassino, Criação Monstruosa, O Portão e O Rato-Humano.
ATENÇÃO: esse post é inédito! Não consta na Bússola do Terror!
Até a próxima!
Brasil 2024: tempo de pensar no que é melhor pra sua cidade.

sábado, 10 de fevereiro de 2024

DAMIEN CROSSE

O floridiano Damien Crosse (também creditado algumas vezes como Sebastian) teve uma carreira de quase 20 anos como ator e diretor pornô. Mas parece ter deixado o meio em 2022.
Entre as produções de que participou, o único filme de terror em que ele apareceu foi Thirst (2016), no qual ele interpretou um vampiro.
Mais informações sobre o Damien? Lá vai:









ATENÇÃO: esse post é inédito! Não consta na Bússola do Terror!
Até a próxima!
Brasil 2024: tempo de pensar no que é melhor pra sua cidade.

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2024

ENIGMA DO OUTRO MUNDO

títulos originais: L’Effroyable Chose / The Thing
título brasileiro: Enigma do Outro Mundo
ano de lançamento: 1982
países: Canadá / Estados Unidos
elenco principal: Keith David, Kurt Russell, T. K. Carter
direção: John Carpenter
roteiro: John W. Campbell Jr. (autor do texto original) e Bill Lancaster

Antártica. Inverno de 1982.
A 4ª estação do National Science Institute é tripulada por 12 homens. E o transporte pra tirar eles dali só deve chegar na Primavera.
Um dia, chega ali o que parece ser um helicóptero perseguindo um cachorro, que foge correndo pela neve. E os ocupantes da estação saem pra ver essa estranha cena.
O helicóptero aterrissa e o homem que tava lá dentro acaba deixando uma granada cair no chão. E ele mal tem tempo de sair correndo, enquanto a granada explode e destrói acidentalmente o helicóptero.
O cachorro parece tentar pedir ajuda. E o homem do helicóptero, enquanto grita frases em Norueguês que ninguém entende, começa a atirar no cachorro, ferindo de raspão alguns ocupantes da estação ao fazer isso.
Isso só para quando o Garry, o comandante da estação, mata o norueguês com um tiro.
Vendo os nomes escritos no helicóptero e no uniforme do norueguês, eles identificam onde fica a base dele. E 2 ocupantes da estação, chamados RJ e Copper, vão até lá de helicóptero pra tentar entender o que houve.
Os americanos encontram a base destruída, manchas de sangue pelo chão e o cadáver congelado de um homem que visivelmente se suicidou.
E do lado de fora, eles veem uma grande carcaça do que parece ser um homem todo retorcido. E eles levam essa coisa pra estação deles.
Eles não imaginam o quanto vão lamentar por isso...

Quando a gente diz às crianças e adolescentes de hoje que vários filmes de terror passavam na Sessão da Tarde e no Cinema em Casa, eles não acreditam.
Bom, Enigma do Outro Mundo é um dos exemplos disso: eu me lembro de ter visto esse filme SEM CORTES na Sessão da Tarde no final dos anos 80.
Só que, como a gente sabe, a TV aberta encaretou muito de lá pra cá, né?
Mas enfim: muita gente pensa que Enigma do Outro Mundo é um remake do Monstro do Ártico (1951). Mas não: o que acontece é que ambos os filmes foram inspirados no mesmo livro, chamado Who Goes There? (1938), do John W. Campbell. Então, obviamente eles têm histórias parecidas.
Enigma do Outro Mundo é mais um filme de invasão extraterrestre. Mas o alien aqui é uma forma de vida que absorve outras, fundindo elas com o corpo dela. E ao mesmo tempo, pode assumir a aparência física de uma das criaturas que ela absorveu (sim: o tal cachorro, depois de poucos minutos de filme, revela ser um extraterrestre disfarçado). Mas, quando percebe que foi descoberta no disfarce que adquiriu, a criatura assume uma forma monstruosa e ataca.
Além disso, quando o alien infecta um novo ser vivo, o novo corpo que se forma aí pode se dividir em partes diferentes. E cada parte passa a funcionar como uma criatura com vida própria.
Não há CGI aqui: os monstros são todos bonecos. Alguns, movidos a cabos e adjacências, de forma manual ou usando controle remoto; outros, vestidos pelo Joe Carone (um ator que não tinha os 2 braços e, dessa forma, cabia dentro do formato das fantasias).
A coisa foi feita de uma forma tão prática que, ao filmar uma cena em que ocorria um incêndio, os atores acidentalmente provocaram um incêndio de verdade no cenário!
Ninguém se machucou, mas vários pedaços do cenário e elementos de cena foram perdidos.
O ator Kurt Russell ficou 1 ano sem fazer a barba nem cortar os cabelos pra ficar com a cara do RJ, visto que esse já tava sem se cuidar num ambiente isolado e nevado fazia meses (depois, antes de fazer as cenas, ele aparou o que foi preciso da barba e dos cabelos).
Enigma do Outro Mundo ganhou uma pré-sequência em 2011, contando a origem do cachorro que aparece no início desse filme aqui.
Outros filmes do John Carpenter que eu já indiquei aqui foram Halloween (1978) e Eles Vivem (1988).
Mais informações sobre Enigma do Outro Mundo? Lá vai:


E dê uma clicada aí do lado em ‘extraterrestres’ pra ver o post sobre Eles Vivem e em ‘slashers’ pra ver o post sobre Halloween.
ATENÇÃO: esse post é inédito! Não consta na Bússola do Terror!
Até a próxima!
Brasil 2024: tempo de pensar no que é melhor pra sua cidade.

sábado, 3 de fevereiro de 2024

GEORGE NADER

Esse mês se completam 22 anos que o californiano George Nader faleceu devido a falência múltipla dos órgãos.
Ele foi um ator mais de filmes policiais e dramas. Mas também apareceu em alguns (raros) filmes de terror.
Em 1953, o George protagonizou O Robô Alienígena, considerado por alguns o filme de terror mais mal feito do Mundo!
Em 1965, ele protagonizou A Era dos Robôs.
E em 1973, o George foi visto em Atlântida, o Continente Perdido.
Mais informações sobre o ator? Lá vai:









ATENÇÃO: esse post é inédito! Não consta na Bússola do Terror!
Até a próxima!
Brasil 2024: tempo de pensar no que é melhor pra sua cidade.

segunda-feira, 29 de janeiro de 2024

O HOMEM-COBRA

título original: Sssssss
título brasileiro: O Homem-Cobra
ano de lançamento: 1973
país: Estados Unidos
elenco principal: Dirk Benedict, Heather Menzies, Strother Martin
direção: Bernard L. Kowalski
roteiro: Daniel C. Striepeke e Hal Dresner

Um estudante universitário chamado David é indicado pelo professor dele pra trabalhar como assistente de um cientista chamado Carl que se dedica a estudar cobras.
A filha do cientista, chamada Kristina, ajuda o pai nas experiências dele. E não demora a começar um namoro entre ela e o David.
O Carl também não demora a dizer que precisa vacinar o David com um líquido que, assim diz ele, é um imunizante contra o veneno das serpentes.
Logo depois disso, o rapaz começa a ter sonhos estranhos. E poucos dias depois, vê que a temperatura dele mudou e que a pele dele começou a sofrer uma mutação estranha...
Ninguém imagina, mas o Carl pretende transformar o David numa cobra, já tendo tentado fazer o mesmo com o assistente anterior dele!

Se a gente der uma olhada em Frankenstein (1910), Frankenstein (1931), A Maldição de Frankenstein, El Ladrón de Cadáveres (ambos de 1957), La Loba (1965), Praga Infernal (1975), Ataque das Cobras (1976), Alligator (1980), Frankenstein, Rosso Sangue (ambos de 1981), Criação Monstruosa (1987), O Rato-Humano (1988), Shakma (1990), O Penetrador do Futuro (1991), Metalbeast (1995), Caçada ao Predador (1996), Criaturas Arrepiantes (1997), Do Fundo do Mar (1999), Jekyll & Hyde, Python (ambos de 2000), A Evolução do Mal Começou, Criaturas, Plataforma do Medo (os 3 de 2004), Mosquito Man (2005), A Face do Predador, Enxame Negro (ambos de 2007), Ambuli (2012), Aranhas 3D (2013), Grito Silencioso (2020) e Aranha Gigante no Sótão (2021), filmes de origens e épocas bem diferentes, o que a gente vê em comum?
Simples: todos eles mostram um cientista que, de forma voluntária ou involuntária, criou algum tipo de monstro que saiu tocando o terror por aí.
No caso do Homem-Cobra, a coisa foi um pouco diferente: um cientista louco criou monstros, mas os monstros que ele criou são completamente inofensivos. Nenhum deles nunca machuca ninguém. Aqui o único personagem que mata e cria caos na vida dos outros é o próprio cientista. Eventualmente, usando as serpentes dele.
Grosso modo, ele é mais um cientista com mania de grandeza que acha que não precisa respeitar nenhum tipo de limite.
Quanto ao filme em si, posso adiantar que ele não tem muita ação. É uma produção que aposta mais em suspense e terror psicológico.
Curiosamente, O Homem-Cobra acaba meio em aberto, com a Kristina olhando apavorada pra cena que tá se passando no final, a câmera fechando na cara dela e a imagem congelando.
As serpentes que apareceram dentro do laboratório eram todas de verdade. E uma delas, uma mamba negra, chegou a morder o ator Strother Martin de verdade numa cena. Mas ele continuou fazendo a cena até o final, embora tenha confessado mais tarde que morreu de medo de ter sido envenenado ali.
No final dos anos 70, quando o Sílvio Santos fundou a TVS, ele transformou O Homem-Cobra numa espécie de carro-chefe dos filmes de terror exibidos na emissora, reprisando esse filme à exaustão naquela época.
Então, quem viu a aurora do canal 11 do Rio de Janeiro com certeza se lembra de ter visto no mínimo a chamada desse filme durante os intervalos comerciais.
E sim: o título original em Inglês é esse mesmo. Sssssss!
Mais informações sobre O Homem-Cobra? Lá vai:


E dê uma clicada aí do lado em ‘ficção científica’ que você acha posts sobre a versão de 1910 de Frankenstein, a versão de 1931 de Frankenstein, a versão de 1981 de Frankenstein, A Evolução do Mal Começou, A Face do Predador, A Maldição de Frankenstein, Alligator, Ambuli, Aranha Gigante no Sótão, Aranhas 3D, Ataque das Cobras, Caçada ao Predador, Criação Monstruosa, Criaturas, Criaturas Arrepiantes, Do Fundo do Mar, El Ladrón de Cadáveres, Enxame Negro, Grito Silencioso, Jekyll & Hyde, La Loba, Metalbeast, Mosquito Man, O Penetrador do Futuro, O Rato-Humano, Plataforma do Medo, Praga Infernal, Python, Rosso Sangue e Shakma.
Até a próxima!
Brasil 2024: tempo de pensar no que é melhor pra sua cidade.

sábado, 27 de janeiro de 2024

Como se Defender desse Vilão? (hoje com O GOLEM)

nome completo: Golem
espécie: estátua (alterada por forças sobrenaturais)
planeta de origem: Terra
residência: um bairro judaico em algum lugar da Europa Central
função social: guarda-costas e serviçal da comunidade judaica
armas e/ou poderes: força física sobre-humana
serve a: (a princípio) a pessoa que criou ele e, eventualmente, pessoas ligadas a essa pessoa
é servido por: ninguém
inimigo mortal de: embora possa facilmente machucar ou matar qualquer pessoa, ele não parece tratar ninguém exatamente como um inimigo
foi visto pela última vez em: sendo carregado pra dentro do bairro judaico onde foi criado
1ª produção em que apareceu: O Golem (1920)
1º ator a interpretar o personagem: Paul Wegener

Que riscos eu corro vindo desse vilão?
Até 2ª ordem, a função do Golem é apenas obedecer às ordens dos membros da comunidade judaica. E a tendência é ele só fazer alguma coisa contra você se alguém daquela comunidade mandar ele fazer isso.
Entretanto, nas últimas horas em que funcionou, ele demonstrou uma certa rebeldia, passando a agir seguindo só os próprios instintos. E nesse último caso, ele pode fazer qualquer coisa que a força física dele permita.

Como eu faço pra evitar encontrar esse vilão?
O Golem nunca foi visto fora da Europa Central (mais especificamente, ele nunca foi visto muito longe do palácio onde os imperadores do Sacro Império Romano Germânico moravam).
Então, desde que você nunca vá até lá, provavelmente você nunca vai encontrar ele.

Se eu já tiver encontrado, o que eu faço?
Lutar fisicamente contra o Golem é inútil, já que ele é muito mais forte do que qualquer humano.
O mais indicado a fazer parece ser arrancar o amuleto que ele leva no tórax ou então simplesmente sair de perto dele.

É possível matar esse vilão?
O Golem é apenas uma estátua trazida à vida pelos poderes do demônio Astaroth. E ele só se mantém vivo enquanto um amuleto em forma de estrela se encontrar atarraxado ao tórax dele.
Se alguém arrancar o amuleto dali, ele se transforma de volta numa inofensiva estátua normal (no caso dele, acho que isso corresponde mais ou menos a morrer, né?).

Mais algumas informações que talvez você não saiba sobre o universo em que esse vilão vive:


Até a próxima!
Brasil 2024: tempo de pensar no que é melhor pra sua cidade.

segunda-feira, 22 de janeiro de 2024

A MOSCA DA CABEÇA BRANCA

título original: The Fly
título brasileiro: A Mosca da Cabeça Branca
ano de lançamento: 1958
países: Canadá / Estados Unidos
elenco principal: David Hedison, Patricia Owens, Vincent Price
direção: Kurt Neumann
roteiro: George Langelaan (autor do texto original) e James Clavell

Numa noite comum, o empresário François recebe um telefonema da cunhada dele, chamada Helene. E ela diz que matou o marido, chamado Andre. E agora ela precisa de ajuda.
O François liga pro inspetor Charas e vai com ele e um grupo de policiais até a casa dela.
O Charas e o François vão dar uma olhada no laboratório que o Andre tinha em casa e encontram tudo destruído lá!
A Helene confirma a todos que foi ela quem matou o Andre e se mostra bastante tranquila com isso. Mas se recusa a revelar o motivo. E assim, o Charas começa a suspeitar que ela é louca.
Depois de pressionar muito, o François consegue que ela confesse o que aconteceu. Mas a história que ela conta parece mais inverossímil do que tudo o que já se passou ali até agora...

Venhamos e convenhamos, A Mosca da Cabeça Branca não é exatamente um filme de terror... Embora seja classificado quase sempre como tal, ele é mais um filme policial misturado com ficção científica (acontece um assassinato, a assassina vai contando a situação aos poucos até ficar claro o que aconteceu...). E tem umas 2 ou 3 cenas que tentaram dar sustos no público. Mas só isso.
O filme deu origem a uma franquia que teve mais 2 filmes (1959 e 1965). E curiosamente, embora o 1º filme seja em cores, os outros 2 são em preto e branco.
Um erro que muita gente comete é dizer que o filme A Mosca (1986) é um remake da Mosca da Cabeça Branca.
O filme dos anos 80 não segue os passos do filme dos anos 50. O que acontece é que ambos foram inspirados no mesmo conto [The Fly (1957), do francês George Langelaan]. E assim, obviamente, eles têm quase o mesmo tema: em ambos você vê um cientista canadense que inventa uma máquina de teletransporte, sacrifica acidentalmente um animal que ele usa ao testar a máquina, passa por uma mudança genética porque uma mosca entra com ele na máquina de teletransporte e ambos resolvem seus problemas no final em cenas relativamente parecidas.
No resto, os personagens dos 2 filmes não têm os mesmos nomes nem vivem nas mesmas condições.
Dá pra ver claramente que A Mosca da Cabeça Branca inspirou outro filme de terror lançado no ano seguinte: The Alligator People. Com algumas mudanças, é claro...
Em ambos os filmes, vemos uma mulher que teve que lidar com o marido transformado num mutante híbrido (ambos com corpo humano e cabeça animalesca) devido a uma experiência que deu errado. E o destino dos 2 homens é quase igual nos 2 filmes.
Bom, A Mosca da Cabeça Branca não é um filme de ação. E a maior parte da história é contada pela Helene e apresentada como flashback.
Também não há aqui nenhum monstro sanguinário matando um monte de gente que ele vai encontrando pelo caminho.
Assim, como eu disse antes, eu recomendo A Mosca da Cabeça Branca mais a quem gosta de filmes policiais do que de filmes de terror.
Mais informações sobre o filme? Lá vai:


ATENÇÃO: esse post é inédito! Não consta na Bússola do Terror!
E dê uma clicada aí do lado em ‘produções inglesas’ que você acha um post sobre A Mosca.
Até a próxima!
Brasil 2024: tempo de pensar no que é melhor pra sua cidade.

sábado, 20 de janeiro de 2024

70 ANOS DO MONSTRO DA LAGOA NEGRA


Em Fevereiro vão se completar 70 anos do lançamento de um dos filmes mais famosos da Universal Pictures: O Monstro da Lagoa Negra.
Assim, pra marcar a data, decidi fazer um post lembrando algumas curiosidades sobre o filme:

Não podemos negar que a Universal tentou fazer algo relativamente diferente, já que os filmes de terror da empresa tinham a tendência de usar personagens clássicos da Literatura de Terror como vilões (como o Conde Drácula e o Monstro de Frankenstein). E nesse caso aqui, não: o monstro é uma criatura inteiramente inventada pelos próprios roteiristas da Universal. Estamos falando do Gill-Man.
Entretanto, depois do sucesso inicial do personagem, que permitiu que ele aparecesse em 2 continuações do filme, ele acabou sendo meio deixado de lado depois disso. E nunca apareceu na mesma quantidade de produções seguintes que outros monstros da Universal.
O interesse que o monstro sente pela Kay foi inspirado em A Bela e a Fera (1884).
Na cena em que a Kay resolve dar um mergulho, o monstro, ao ver ela nadando na superfície, resolve se aproximar, começando a nadar mais ou menos… 1 metro abaixo dela. Aliás, acho que ela tem algum problema ótico, porque ela não vê ele nadando literalmente ao lado dela! Tem um momento em que o braço dele quase esbarra no dela!
Bom, finalmente, o monstro segura no pé dela. E ela sente uma coisa pegando no pé dela… Mas ela deixa pra lá e continua nadando. Acho que ela não tem problema ótico: ela é meio maluca mesmo!
Na cena em que o monstro tá carregando a Kay dentro da caverna, o ator Ben Chapman não tava enxergando nada dentro da fantasia de monstro. Assim, ele acabou batendo com a cabeça da atriz Julie Adams na parede do cenário sem querer.
Na 1ª cena subaquática em que o David e o Mark veem o monstro a alguns metros de distância, a criatura não demonstra nenhuma atitude agressiva. Muito pelo contrário: foge nadando.
Esse comportamento ‘tímido’ do monstro na própria lagoa onde ele vive contradiz bastante o comportamento que ele teve no acampamento do Carl, saindo do rio e matando 2 homens que nem sequer sabiam que ele existia, né? Mas aí pode ser que ele tenha matado porque se assustou com os homens por algum motivo.
O David usa sempre 2 tanques de oxigênio nas costas e o Mark só usa 1 em todas as cenas em que eles mergulham...
Talvez isso pareça sem sentido à 1ª vista. Mas o diretor fez isso propositalmente só pra diferenciar os 2 atores de longe quando eles se encontrassem nadando dentro da água.
De acordo com o que os personagens conversam enquanto cruzam o rio de barco, o rio simplesmente acaba numa lagoa... Meio estranho, né? A água desse rio fica lá empoçando, empoçando, empoçando eternamente na lagoa? Ou a lagoa tem um buraco por onde a água sai pra outro lugar?
O Gill-Man foi interpretado por 2 atores diferentes: o ator Ricou Browning deu vida à criatura nas cenas subaquáticas e o ator Ben Champman interpretou a criatura nas demais cenas.

Inspirações que o filme de 1954 deu a algumas outras produções:

Jonny Quest (1964) → A criatura mostrada no 26º e último episódio do seriado (O Monstro do Mar de Java) foi vagamente inspirada no Gill-Man. Embora, na prática, ele se parecesse mais com uma espécie de híbrido de peixe abissal com réptil.
A última cena do episódio (que foi também a última cena do seriado) parece ser uma imitação da última cena do filme, com o monstro caindo na água depois de ter sido atingido por uma arma dos heróis e descendo pras profundezas.

Sting of Death (1966) → A criatura desse filme, até 2ª ordem, era humana. Mas, como se tratava do assistente de um cientista que fazia experiências com caravelas, não foi difícil pra ele criar uma caravela mutante que podia transformar ele numa caravela humanoide.
Embora o Egon não tivesse muito a ver com o Gill-Man como um todo (a única grande semelhança é que ambos eram monstros que se locomoviam na água e na terra com a mesma facilidade), é impossível olhar pra cena em que o Egon levou a Karen pra caverna dele e não notar a inspiração na cena em que o Gill-Man levou a Kay pra caverna dele.

Ultraman (1966) → O 4º episódio do seriado (Fúria sobre o Mar) nos mostra um réptil humanoide pré-histórico chamado Ragon.
A aparência da criatura foi explicitamente inspirada na aparência do Gill-Man. E o próprio nome do monstro se originou do título do filme em Inglês: a base do nome Ragon é a palavra “lagoon”.

Viagem Rumo ao Infinito (1966) → OK. O monstro desse filme, creditado no roteiro apenas como Thing, era um extraterrestre. Então, teoricamente, nem teríamos como comparar ele com o Gill-Man.
Mas alguém vai dizer que as cenas subaquáticas da criatura nadando não lembram as cenas do filme de 1954?

Octaman (1971) → Esse aqui é o hors concours dessa lista.
O Harry Essex, um dos roteiristas do Monstro da Lagoa Negra, foi o diretor e roteirista de Octaman. E o que ele fez aqui foi pegar o roteiro do outro filme, fazer meia dúzia de adaptações e contar a mesma história, substituindo o peixe humanoide por um polvo humanoide. Ou seja: vocês vão ver aqui inúmeras semelhanças entre os 2 filmes.

Creature from Black Lake (1976) → Já sei que alguém aqui vai dizer que esse filme não tem nada a ver com o outro, porque esse é um filme de terror de sasquatches e não de monstros aquáticos... Eu até poderia contestar isso, já que o 1º ataque do sasquatch aqui aconteceu com ele saindo de dentro de um lago. Mas vamos deixar isso pra lá.
A inspiração aqui não foi na história em si, mas sim no nome do filme. Ou alguém vai querer me convencer que Creature from Black Lake não foi um título dado pra imitar Creature from the Black Lagoon?

He-Man e os Defensores do Universo (1983) → O Aquático foi um vilão do seriado inspirado no Gill-Man, embora ambos os personagens não tivessem nada a ver um com o outro em termos de história pessoal (o Aquático era movido a intenções francamente perversas e tinha uma capacidade de raciocínio igual à de um humano).

Black Kamen Rider (1987) → O 24º episódio do seriado (Pesadelo sem Fim) começa com uma criatura com o mesmo tipo físico do Gill-Man saindo de um lago e atacando um casal que tava namorando na margem, no que parece ser uma referência à criatura saindo do rio e matando os assistentes do Dr. Carl.
Na verdade, se tratava do monstro mutante Shirlakan, um antigo professor de Biologia que se vendeu à seita Gorgom em troca de poder, acabando por ser transformado por eles no tal mutante.

Deu a Louca nos Monstros (1987)→ Nesse filme, sob o comando do Drácula, se juntaram vários monstros. Entre eles, uma criatura aquática chamada Gillman.
Esse réptil humanoide obviamente foi inspirado no Gill-Man, já que todos os monstros da quadrilha do Drácula faziam referências a monstros vistos como clássicos até o meio do século XX. Mas o nome teve que ser escrito diferente por causa dos direitos autorais, já que a Universal não liberou.

O Demônio do Paraíso (1987)→ Aqui fomos apresentados ao Akua, um feroz réptil humanoide que vivia num lago na Ilha de Kihono e que podia nadar na água e caminhar na terra com a mesma facilidade. E os humanos que chegaram a ver ele nunca concluíram se o monstro era um ser sobrenatural ou simplesmente uma criatura pré-histórica.
De qualquer forma, a inspiração no Gill-Man é evidente.

🐟🐟🐟

Outras vezes em que o blog já falou sobre...

BLACK KAMEN RIDER





CREATURE FROM BLACK LAKE



DEU A LOUCA NOS MONSTROS




HE-MAN


















JONNY QUEST












O DEMÔNIO DO PARAÍSO




O MONSTRO DA LAGOA NEGRA







OCTAMAN





STING OF DEATH


ULTRAMAN









VIAGEM RUMO AO INFINITO



Até a próxima!
Brasil 2024: tempo de pensar no que é melhor pra sua cidade.