sábado, 27 de novembro de 2021

TERROR NA ÁGUA 3D

título original: Shark Night
título brasileiro: Terror na Água 3D
ano de lançamento: 2011
país: Estados Unidos
elenco principal: Chris Carmack, Dustin Milligan, Sara Paxton
direção: David R. Ellis
roteiro: Jesse Studenberg e Will Hayes

Um rapaz e uma moça brincam na beira de um lago. Até que o rapaz sai e se afasta alguns metros...
De repente, alguma coisa por baixo da água agarra a moça, que começa a chamar pelo namorado. Mas ele tá com o rádio ligado e longe demais pra escutar. E nem vê quando ela é puxada pro fundo da água e some...

Não. Isso não é a descrição da 1ª cena de Tubarão (1975).rsrs Mas, certamente é uma homenagem à referida cena, já que é assim que Terror na Água 3D começa. E como ele também é um filme de terror sobre tubarões...
A diferença é que esse aqui se passa num lago, tem vários tubarões em vez de 1 só e tem vilões humanos envolvidos nessa situação bizarra.
Aliás, embora o filme faça um certo suspense sobre como tubarões de várias raças diferentes foram parar num lago sem conexão com o Mar, você não tem nenhuma grande surpresa quando descobre exatamente o que houve. Porque nos primeiros 15 minutos de filme já dá pra ver explicitamente quem são os vilões (embora tenha mais 1 que só vai ser identificado mais tarde).
Mas até que funciona bem, porque são aqueles vilões que você torce mesmo pra se darem mal pelo que fizeram. E sem entrar em spoilers, você vai gostar do destino final que eles vão ter.rsrs Enfim, eles agem só por sadismo mesmo. Não há nenhuma vingança ou outra causa que justifique as atitudes deles.
O mais bizarro é que eles amarraram câmeras nas barrigas dos tubarões... Fica meio difícil entender como conseguiram fazer isso, né?rsrs
O final também não chega a impressionar. Se você tá acostumado a ver filmes de terror, não é difícil deduzir quem vai sobreviver no fim do filme.
Terror na Água 3D completou 10 anos de lançamento em Agosto. E foi o canto do cisne do diretor David R. Ellis, que morreu em Janeiro de 2013.
Mais informações sobre o filme? Lá vai:


E dê uma clicada aí do lado em ‘animais enfurecidos’ que você acha um post sobre Tubarão.
Até a próxima!

sexta-feira, 26 de novembro de 2021

JUSTIN KIRK

O oregoniano Justin Kirk é um ator basicamente de teatro. E na televisão e no cinema ele trabalhou principalmente em comédias, o que torna poucos os filmes de terror em que ele apareceu até hoje.
Em 2009, ele protagonizou Four Boxes.
No ano seguinte, o Justin protagonizou A Presença.
Em 2012, ele foi visto na comédia de terror Vampiras.
E em 2016, o Justin participou do reboot feminista dos Caça-Fantasmas.
Mais informações sobre o ator? Lá vai:








Até a próxima!

quinta-feira, 25 de novembro de 2021

O TUBARÃO DO PÂNTANO

título original: Swamp Shark
título brasileiro: O Tubarão do Pântano
ano de lançamento: 2011
país: Estados Unidos
elenco principal: D. B. Sweeney, Kristy Swanson, Robert Davi
direção: Griff Furst (creditado aqui como G. E. Furst)
roteiro: Charles Bolon, Eric Miller e Jennifer Iwen

O xerife de uma região pantanosa formada por vários lagos interligados é um fornecedor de animais exóticos pra colecionadores do mercado negro. E agora ele conseguiu capturar um tubarão de uma raça extremamente rara, vinda de profundezas extremas do Mar.
A fera foi posta num container, que tá sendo transportado de caminhão por uma estrada da jurisdição do xerife. Mas o bicho começa a se debater lá dentro e acaba virando o container. E o tubarão acaba caindo no lago ali do lado e sai nadando pra longe.
A criatura não demora a começar a fazer vítimas entre os humanos e animais que vivem na região. E a dona de um restaurante local chamada Rachel resolve organizar um pequeno grupo pra caçar a fera. Mas isso não vai ser fácil, já que a criatura, além de muito feroz, também é muito mais resistente do que os tubarões comuns e tem a pele imperfurável por tiros!

O Tubarão do Pântano completou 10 anos de lançamento em Junho.
É aquele telefilme de terror regular. Não é nenhuma obra-prima, mas também não é ruim.
Tentam fazer um certo suspense com a chegada de um forasteiro chamado Tommy, que se junta à Rachel pra pegar o tubarão. Mas quando ele revela o motivo da presença dele ali, isso não chega a ser nada extremamente surpreendente.
Também não faltam alguns clichês, como o casal que se afasta de todo mundo pra ir transar num lugar idiota e acaba sendo morto pelo monstro. Mas isso até que passa batido.
E não esperem ver aqui um filme de terror com muitas cenas de violência explícita, porque isso quase não aparece (na verdade, é uma produção que agrada mais a quem tá a fim de ver filmes de terror mais voltados pra aventura).
E o próprio tubarão aparece muito pouco em detalhes.
Ou seja, vale a pena ver O Tubarão do Pântano, mas levando em conta que é uma produção mediana, que não vai mostrar nada que espante nenhum fã de terror.
Mais informações sobre o filme? Lá vai:


Até a próxima!

quarta-feira, 24 de novembro de 2021

JUSTIN HARTLEY

O illinoisano Justin Hartley talvez seja mais conhecido entre os fãs de aventura por ter interpretado o herói Oliver Queen, o Arqueiro Verde, em Smallville (de 2006 até 2011).
Aliás, ele é um ator basicamente de televisão, tendo feito poucos trabalhos no cinema até hoje. E raríssimos filmes de terror.
A estreia do Justin na área foi em 2008, em Red Canyon.
E em 2020, ele apareceu em A Caçada.
Mais informações sobre o Justin? Lá vai:










Até a próxima!

domingo, 21 de novembro de 2021

DESAPARECIDOS

título original: Desaparecidos
ano de lançamento: 2011
país: Brasil
elenco principal: Charlene Chagas, Fernanda Peviani, Pedro Urizzi
direção: David Schurmann
roteiro: David Schurmann e Rafael Blecher

Em Outubro de 2011, 6 câmeras digitais foram encontradas abandonadas no meio de uma floresta de Ilhabela. Algumas, sujas com sangue...
As imagens encontradas nessas câmeras foram mantidas em sigilo. Mas agora as autoridades decidiram revelar o que elas continham...

Se você já viu A Bruxa de Blair (1999), acho quase impossível que você não tenha se lembrado desse filme agora, já que ele começa com um aviso do mesmíssimo tipo. Mas o que a sinopse menciona é um aviso mostrado no início de Desaparecidos, produção que vai completar 10 anos de lançamento em Dezembro.
E as semelhanças não param por aí: todo o desenvolvimento da história de Desaparecidos segue os passos da história da Bruxa de Blair, já que a intenção do diretor foi mesmo criar uma versão brasuca da história da Heather, do Josh e do Mike.
Até uma cena que foi deletada da Bruxa de Blair, que mostraria o Mike morto e amarrado em cipós, foi aproveitada com um dos personagens de Desaparecidos.
A diferença básica é que aqui tudo se passa numa única noite e os garotos não entram na floresta com a intenção de fazer um documentário.
Ah, sim: e a criatura bizarra que persegue eles na floresta não é uma bruxa. Mas também não é explicado exatamente do que se trata...
De qualquer forma, a criatura é creditada no encerramento do filme como “Escravo”. E juntando isso à história contada sem muitos detalhes por um caipira que os garotos encontram, a gente consegue entender mais ou menos o que ele é.
Desaparecidos foi todo filmado durante 5 dias e conta só com atores iniciantes e/ou pouco conhecidos.
Mais informações sobre o filme? Lá vai:


E dê uma clicada aí do lado em ‘góticos’ que você acha um post sobre A Bruxa de Blair.
Até a próxima!

sábado, 20 de novembro de 2021

IAIN GLEN

O escocês Iain Glen talvez seja mais famoso por ter interpretado o personagem Jorah Mormont no seriado Game of Thrones (2011). E a maioria das produções de que ele participou foram filmes e seriados de aventura e dramas. Mas as produções de terror até que são relativamente comuns no currículo dele.
No ano 2000, ele apareceu no filme A Casa do Mal e no telefilme O Mistério de Wyvern.
Em 2002, o Iain foi visto em A Sétima Vítima.
Em 2004, ele fez parte do elenco de Resident Evil 2: Apocalipse como o personagem Isaacs. E ele voltaria a interpretar o mesmo personagem em Resident Evil 3: A Extinção (2007) e em Resident Evil 6: o Capítulo Final (2016).
E em 2012, 1 episódio do seriado Haven contou com a presença do Iain.
Mais informações sobre o ator? Lá vai:



ATENÇÃO: esse post é inédito! Não consta na Bússola do Terror!
Até a próxima!

segunda-feira, 15 de novembro de 2021

A NOITE DO CHUPACABRAS

título original: A Noite do Chupacabras
ano de lançamento: 2011
país: Brasil
elenco principal: Joel Caetano, Mayra Alarcón, Petter Baiestorf
direção e roteiro: Rodrigo Aragão

Em meio a uma gigantesca região florestal do interior do Brasil se pode encontrar uma casa aqui, outra lá a muitos quilômetros de distância, mais outra a outros tantos quilômetros de distância...
Numa dessas casas mora a Família Silva e em outra mora a Família Carvalho. E ambas vivem numa guerra sangrenta uma contra a outra.
Tudo começou quando o Patriarca Carvalho foi encontrado morto no meio da floresta. E o assassinato foi atribuído à Família Silva.
As coisas pioraram quando um rapaz Silva transou com uma moça Carvalho. E pouco depois, quando ele se mudou pra um centro urbano pra estudar, se recusou a levar ela junto. E a garota surtou e se suicidou por causa disso.
O que ninguém imagina é que quem matou o velho Carvalho não foi ninguém da Família Silva. Aliás, não foi nem sequer alguém humano...
Animais mortos misteriosamente têm aparecido ali cada vez com mais frequência. E só o que dá pra ver é que quem (ou o quê) faz isso tem um par de olhos brilhantes que aparecem na escuridão da noite.

Um filme chamado A Noite do Chupacabras dá a entender que você vai ver uma história sobre esse monstro, certo? E não posso negar que você vê aqui uma história que tem esse monstro presente. Mas se engana quem pensa que a história gira em torno dele.
O tema principal do filme é a inimizade mortal entre as 2 famílias de caipiras. Inimizade essa que já chegou a um ponto tão extremo que os 2 lados tão esperando só um mínimo detalhe pra partir pro extermínio recíproco definitivo.
Enfim, é um ambiente que não vai durar muito mais tempo e que já tá pra desabar a qualquer momento. Na prática, o ataque definitivo do monstro só serve pra destruir as últimas ruínas daquela comunidade.
O filme nunca explica o que o monstro é. Pode ser um ser sobrenatural (o que é mais provável, já que vemos que a floresta abriga pelo menos mais outra presença sobrenatural além dele) ou pode ser um animal de espécie não catalogada pela Biologia. Mas isso também não faz diferença.
De qualquer forma, na última cena é que a gente entende como a espécie do monstro se reproduz.
Vale lembrar que A Noite do Chupacabras tem várias cenas splatter. É um filme só pra quem não se incomoda com gore mesmo.
O roteiro desse filme, que completou 10 anos de lançamento em Julho, faz uma vaga referência a um filme anterior do Rodrigo Aragão, chamado Mangue Negro (2008). Mas A Noite do Chupacabras não é uma continuação de Mangue Negro (forçando a barra, pode ser considerado no máximo um spin-off). Parece mais que os 2 filmes contam histórias de terror independentes uma da outra, mas que se passam em lugares próximos.
Como ponto negativo, eu destaco o excesso de palavrões durante o filme todo. Não sou contra falar palavrão (desde que tenha lógica). Mas qualquer palavra que seja repetida, repetida, repetida, repetida, repetida, repetida, repetida, repetida, repetida, repetida... começa a encher o saco. É ou não é? E é isso que acontece com os palavrões aqui.
Mais informações sobre A Noite do Chupacabras? Lá vai:


Até a próxima!

domingo, 14 de novembro de 2021

JUNICHI HARUTA

O japonês Junichi Haruta é mais conhecido no Brasil por ter interpretado o vilão MacGaren, do Fantástico Jaspion (1985).
Aliás, vale lembrar que ele também apareceu em 4 outros seriados japoneses de aventura dos anos 80 exibidos na TV aberta do Brasil: Goggle Five, os Guerreiros do Espaço (1982); Metalder, o Homem-Máquina (1987); Cybercops, os Policiais do Futuro; e Jiraiya, o Incrível Ninja (ambos de 1988). Até porque, durante toda a juventude dele, o Junichi foi um ator e dublê de filmes e seriados de aventura (e mesmo quando ele participava como ator, ele sempre fazia questão de atuar pessoalmente nas cenas de ação desse tipo de programa).
Mas ele também já foi visto em algumas poucas produções de terror.
Em 1986, o Junichi protagonizou o curta-metragem Baioserapi.
E em 1999, 1 episódio do seriado de terror Ringu: Saishusho contou com a presença dele.
Outros seriados de que o Junichi participou e que a Multibússola já indicou foram Denshi Sentai Denziman (1980), Taiyo Sentai San Barukan (1981), Kagaku Sentai Dynaman (1983) e Chojin Sentai Jetman (1991).
Mais informações sobre o ator? Lá vai:


E dê uma clicada aí do lado em ‘produções japonesas’ que você acha posts sobre Baioserapi, Cybercops, Denziman, Dynaman, Goggle Five, Jaspion, Jetman, Jiraiya, Metalder e San Barukan.
Até a próxima!

sexta-feira, 12 de novembro de 2021

A HORA DA ESCURIDÃO

títulos originais: Fantom / The Darkest Hour
título brasileiro: A Hora da Escuridão
ano de lançamento: 2011
países: Estados Unidos / Rússia
elenco principal: Emile Hirsch, Max Minghella, Olivia Thirlby
direção: Chris Gorak
roteiro: Jon Spaihts, Leslie Bohem e M. T. Ahern

Depois de terem levado um golpe de um empresário desonesto, 2 garotos americanos chamados Sean e Ben aproveitam que se encontram em Moscou e vão conhecer a cidade à noite. E numa boate, eles encontram 2 turistas americanas chamadas Anne e Natalie.
De repente, as luzes se apagam e todos os aparelhos param de funcionar. E saindo da boate, todos veem que as luzes de todos os estabelecimentos da cidade também se apagaram, ao mesmo tempo em que luzes estranhas começaram a aparecer no Céu.
Essas luzes vão aterrissando por toda a cidade, sendo que uma delas pousa na rua bem ao lado da boate e fica invisível assim que toca o chão.
Enquanto uma multidão se aglomera ali ao redor, um policial se aproxima pra tocar na coisa. Mas ele é desintegrado assim que faz isso!
Diante da cena, todos entram em pânico e saem correndo. E o Sean, o Ben, a Anne e a Natalie vão se esconder no depósito da boate, só tendo coragem de sair dali 3 dias depois. Mas, quando saem, encontram tudo bem pior do que imaginavam: as ruas de Moscou tão completamente desertas e cheias de carros batidos espalhados por toda parte, enquanto vários montinhos de poeira (provavelmente pessoas e animais desintegrados) tão espalhados pelo chão.
Será que ainda sobrou algum lugar seguro pra onde se pode ir?

Já posso começar dizendo que, se você é fã de Jonny Quest (1964), certamente esse filme vai lembrar muito a você o 20º episódio (O Monstro Invisível). Mais especificamente, em várias cenas você consegue vislumbrar uma presença feita de energia, que não pode ser tecnicamente enxergada e que vai destruindo todas as coisas em que ela encosta enquanto vai seguindo em frente.
A maior parte da história se limita a mostrar os humanos andando por uma grande cidade deserta e semidestruída e se escondendo das criaturas que desceram do espaço quando percebem que elas tão se aproximando. São pouquíssimas aqui as cenas de luta aberta entre heróis e vilões.
Mas, exatamente por isso, A Hora da Escuridão tem boas cenas de suspense. Principalmente quando você vê os humanos se escondendo e torce pra eles não serem encontrados pelas criaturas invasoras.
O filme também não tem momentos parados, já que os humanos têm que ficar em alerta durante 100% do tempo pra não serem atacados e transformados em pó.
Comparando A Hora da Escuridão com outros filmes do mesmo tipo, eu diria que é um filme bom e se vê que recebeu um investimento melhor na produção.
Claro que tem algumas esquisitices, como uma personagem que cai num rio e vai parar a quase 1 quilômetro dali em poucos segundos, um ônibus que sai rodando apesar de se encontrar freado e tal.
Mas, desconsiderando uma bobagem ou outra, se você gosta de suspense e de filmes de invasão extraterrestre, você vai gostar dessa coprodução russo-estadunidense que vai completar 10 anos de lançamento em Dezembro.
Mais informações sobre A Hora da Escuridão? Lá vai:


E dê uma clicada aí do lado em ‘seriados’ que você acha um post sobre Jonny Quest.
ATENÇÃO: esse post é inédito! Não consta na Bússola do Terror!
Até a próxima!

quinta-feira, 11 de novembro de 2021

JUN YOSHIDA

O japonês Jun Yoshida provavelmente é mais conhecido no Brasil por ter interpretado a Sacerdotisa Paú em Shaider, o Detetive do Espaço (1984) e o espadachim Taurus em Black Kamen Rider (1987), ambos pouco antes que ele deixasse a carreira de ator.
Mas pouca gente sabe que, em 1967, mesmo ano em que ele estreou como ator, com 6 anos, ele já tinha participado de um filme de terror: Jain.
Outros seriados em que o Jun fez participações menores e que a Multibússola já indicou foram Spielvan (1986) e Jiban (1989).
Mais informações sobre o ex ator? Lá vai:







E dê uma clicada aí do lado em ‘produções japonesas’ que você acha posts sobre Black Kamen Rider, Jiban, Shaider e Spielvan.
ATENÇÃO: esse post é inédito! Não consta na Bússola do Terror!
Até a próxima!