segunda-feira, 20 de setembro de 2021

PYTHON / A COBRA ASSASSINA / A SERPENTE ASSASSINA

título original: Python
títulos brasileiros: Python / A Cobra Assassina / A Serpente Assassina
ano de lançamento: 2000
país: Estados Unidos
elenco principal: Dana Barron, Frayne Rosanoff, William Zabka
direção: Richard Clabaugh
roteiro: Chris Neal, Gary Hershberger, Paul Bogh e Phillip J. Roth

O Exército dos Estados Unidos criou uma serpente mutante pra usar em operações militares, misturando o DNA de vários tipos diferentes de cobras.
Com quase 40 metros, a criatura pode rastejar a 80 quilômetros por hora, tem uma força e uma resistência físicas quase infinitas, cospe jatos de ácido, tem a pele blindada contra quase qualquer tipo de perfuração, tem a ponta do rabo dura e afiada o suficiente pra partir um ser humano em 2 com um único golpe e enxerga perfeitamente no escuro.
Além disso, ela tem uma certa capacidade de raciocínio e foi adestrada pra comer carne humana antes de procurar qualquer outro tipo de alimento.
Quando esse monstro era transportado de avião em segredo, começou a se debater dentro da caixa em que se encontrava preso, chamando a atenção de um dos pilotos, que acabou soltando a criatura sem querer e, consequentemente, fazendo com que o avião caísse perto da cidade de Ruby.
A partir daí, várias pessoas da cidade começam a aparecer mortas, queimadas até os ossos por ácido. Mas o único estabelecimento da cidade que trabalha com ácido é a estação de tratamento de águas. E o policial Greg, que já não vai muito com a cara de um dos donos da estação, chamado John, começa a desconfiar dele, sem nem fazer ideia da presença do monstro.
Ao mesmo tempo, o agente secreto Bart fica sabendo do que aconteceu através do biólogo Anton. E eles partem pra Ruby pra tentar resolver o problema, mas sem revelar aos habitantes da região o que tá se passando.

Python foi lançado na TV aberta do Brasil com o título original, mas às vezes também passa com o título de A Serpente Assassina. E foi lançado em DVD como A Cobra Assassina.
Bom, esse telefilme é uma comédia de terror. Então, não assista levando tão a sério assim.rsrs
Além de estranhar um pouco os efeitos de CGI já bastante ultrapassados, talvez você também se pergunte como uma serpente de quase 40 metros consegue rastejar pelas ruas de uma cidade do interior sem ser vista por ninguém. Mas, exatamente por se tratar de uma comédia, você acaba achando que aquilo faz parte do show.rsrs
Também tem alguns pontos em que o filme exagerou tanto pra fazer graça que acabou ficando chato. Como um policial magrelo que passa o tempo todo fazendo cara de mau pra todos os suspeitos de crimes que ele encontra, se esforçando pra usar um vocabulário mais grosseiro com todo mundo pra parecer mais ‘macho’, prendendo (ou tentando prender) todo mundo de forma exagerada e tudo mais que se pareça com isso... E é um personagem que não faz nada além disso durante o filme todo (e menos ainda ganha qualquer moral com os outros personagens).
Python foi a estreia do Richard Clabaugh como diretor. E escancaradamente tentou pegar carona na fama que Anaconda (1997) tinha na época.
Teve 2 continuações (2002 e 2004). E a 2ª é um crossover com a franquia Boa, lançada em 2002.
Mas posso dizer que, se você entrar no clima que o filme pretende passar, Python é um bom divertimento pra fãs de filmes de terror em geral.
Veja sem esperar nada além de uma comédia de terror simples que você vai gostar.
E pra encerrar, vale a pena destacar aqui as presenças do Casper van Dien e do Robert Englund fazendo participações especiais, já que eles foram presenças constantes em filmes de terror dos anos 80 e 90.
Mais informações sobre Python? Lá vai:


ATENÇÃO: esse post é inédito! Não consta na Bússola do Terror!
E dê uma clicada aí do lado em ‘monstros gigantes’ que você acha um post sobre Anaconda.
Até a próxima!

2 comentários:

Jaws disse...

Eu curto esse filme :)

Leo Rib disse...

Eu também.