sábado, 20 de outubro de 2018

O MONSTRO GIGANTE DO GILA

título original: The Giant Gila Monster
título brasileiro: O Monstro Gigante do Gila
ano de lançamento: 1959
país: Estados Unidos
elenco principal: Don Sullivan, Fred Graham, Lisa Simone
direção: Ray Kellogg
roteiro: Ray Kellogg (autor do texto original) e Jay Simms

Interior do Texas. 1959.
Um território ainda muito inexplorado e, consequentemente, habitado por uma fauna que não se conhece a fundo.
Um dos animais que ali vivem é o monstro do gila, uma espécie de lagarto quase completamente desconhecida. Ninguém sabe nem sequer até que tamanho um monstro do gila cresce...

Ouvindo ao fundo essa aparente explicação pro que vamos ver mais à frente, vemos a 1ª cena do Monstro Gigante do Gila.
Digo que a explicação é apenas aparente porque, na verdade, nunca se explica por quê a criatura cresceu até um tamanho gigantesco, como o próprio título do filme já nos adianta.
Bom, temos aqui um filme bastante simplório, tanto em termos de história quanto em termos de produção...
A história, como já tá claro, nos apresenta um monstro do gila que se agigantou e começou a sumir com as pessoas que esbarram com ele ao redor de uma cidade do interior do Texas. Sim: sumir! Não podemos nem afirmar que ele devora as pessoas (embora seja isso que o filme dá a entender), pois ninguém nunca encontra cadáveres nem marcas de sangue no lugar onde as pessoas desapareceram.
O protagonista da história é um mecânico pós-adolescente chamado Chase, que parece ser o único cérebro pensante entre os personagens do filme, além de ser bonzinho, bonzinho, bonzinho, bonzinho, bonzinho... Simplificando: é quase uma caricatura de herói, né?
E pra representar a criatura, usaram um monstro do gila de verdade, que aparece caminhando entre maquetes de casas, carros e trilhos de trem.
Ao contrário de outros filmes de monstros gigantes dos anos 50, como A Maldição do Monstro (1957), O Monstro Gigante do Gila nunca mostra os humanos na mesma cena que a fera gigante. Mas o tipo de continuidade que fizeram até que convence.
Também posso dizer que esse é aquele tipo de filme parado durante a maior parte do tempo e que só começa a acelerar no final. Aí consegue ter um certo clima de aventura.
Bom, eu diria que O Monstro Gigante do Gila é uma boa pedida pra quem nunca viu um filme de terror e quer começar com uma coisa light. Porque esse pode passar na Sessão da Tarde sem que cortem absolutamente nenhuma cena.rs
O filme foi originalmente gravado e lançado em preto e branco. Mas já existe uma versão colorida dele que pode ser vista facilmente na Internet.
Em 2012, foi lançado um remake, ambientado na mesma época, mas com o monstro representado por uma figura 3D.
Pra encerrar, só uma curiosidade: esse tipo de lagarto é chamado de “monstro do gila” porque se trata de um lagarto venenoso e que era encontrado com frequência às margens do Rio Gila, no Arizona.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre O Monstro Gigante do Gila:


E dê uma clicada aí do lado em ‘monstros gigantes’ que você acha um post sobre A Maldição do Monstro.
Até a próxima!

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

BEN AFFLECK

Um dos atores mais famosos de Hollywood, o californiano Ben Affleck já apareceu em quase todos os gêneros de filmes, embora a gente veja mais comédias no currículo dele.
Produções de terror em que ele já teve foram poucas até hoje. Mas quase todas foram de terror light ou tiveram mais toques de humor.
Em 1992, o Ben apareceu em Buffy, a Caça-Vampiros.
Em 1997, ele deveria ter sido visto na comédia de terror Mentes Paranoicas, mas as cenas dele foram cortadas na edição final do filme.
No ano seguinte, o Ben teve em Fantasmas.
Em 1999, ele participou da comédia de terror Dogma.
Em 2005, o Ben produziu o filme Banquete no Inferno.
E em 2014, ele protagonizou 1 capítulo do seriado de terror Gone Girl.
Clique aqui pra ver mais informações sobre o ator:


Até a próxima!

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

A MALDIÇÃO DO HOMEM SEM FACE

título original: Curse of the Faceless Man
título brasileiro: A Maldição do Homem Sem Face
ano de lançamento: 1958
país: Estados Unidos
elenco principal: Bob Bryant, Elaine Edwards, Richard Anderson
direção: Edward L. Cahn
roteiro: Jerome Bixby

Pompeia. 79 d.C.
Um escravo chamado Quintillus Aurelius quer se casar com a filha de um homem rico. Mas o casamento entre pessoas de classes sociais tão afastadas é proibido no Império Romano.
Furioso, esse escravo, que é um devoto dos deuses etruscos, lança uma maldição sobre a família da mulher que ele deseja. Ele pede aos deuses que destruam a nobreza de Pompeia, que matem o povo de Pompeia e que façam perecer tudo o que estiver entre ele e sua impossível companheira. E deseja que o fogo que vem de dentro da terra consuma tudo ali e mantenha ele vivo depois que os romanos já não existam mais.
Os deuses etruscos ouvem o pedido desse devoto deles e causam a erupção do Monte Vesúvio, que destrói Pompeia. E transformam o corpo dele em pedra e fazem ele entrar numa espécie de hibernação, pra que ele sobreviva através dos milênios, mesmo soterrado pela lava do Vesúvio...
Ruínas de Pompeia. 1958.
Enquanto um grupo de arqueólogos escavam o chão, descobrem o corpo de um homem transformado em pedra. E mandam o artefato pra um museu pra ser estudado.
Uma amiga do dono do museu é ninguém menos do que a reencarnação da mulher com quem o Quintillus queria se casar há 1879 anos. E quando ele acorda da inconsciência em que foi mantido, vê ali uma nova chance de conseguir a mulher que nunca teve, nem pensando antes de matar qualquer pessoa que se coloque no caminho dele.

Bom, o monstro aqui é só uma figura humanoide e petrificada, que anda na mesma velocidade que um velho capenga e que não tem olhos nem nariz nem boca nem ouvidos.
Dá pra ver que a aparência dele não é a de uma das criaturas mais assustadoras que a gente já viu em filmes de terror. Qualquer pessoa só andando rápido já pode escapar dele. Só que os personagens aqui têm a tendência de enfrentar ele. Se não fosse por isso, ele nem ia ter condições de matar ninguém.
Os únicos poderes que ele apresenta são força física sobre-humana e invulnerabilidade a qualquer tipo de arma.
Quanto ao que fez ele ficar assim, a explicação básica, como já vimos, é o poder dos deuses etruscos. Mas os cientistas que analisam ele também levantam a teoria de que a terra onde ele foi soterrado tinha alguma substância química desconhecida que transformou ele num mutante.
Mas o que torna A Maldição do Homem Sem Face um filme realmente chato é a voz de um narrador, que entra mais ou menos de 5 em 5 minutos. E o pior: ele quase sempre entra pra explicar coisas óbvias, que a gente tá vendo com os próprios olhos. A participação dele no filme além de exagerada também é desnecessária.
No mais, posso dizer que esse é um filme que agrada fãs de filmes de terror típicos dos anos 50.
E pra encerrar, vale lembrar que o recentemente falecido Richard Anderson foi quem protagonizou A Maldição do Homem Sem Face.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre o filme:


Até a próxima!

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

AUSTIN ST. JOHN

O neomexicano Austin St. John sem dúvida nenhuma é mais conhecido por ter interpretado o 1º ranger vermelho de Power Rangers (1993).
Depois de várias idas e vindas na carreira de ator, agora ele tá de volta com um filme de terror! Se trata de Survival’s End.
O filme começou a ser gravado em 2015. Mas as filmagens ainda não terminaram. E assim, ainda são muito poucas as informações sobre esse filme disponíveis na Internet. Mas, de acordo com o IMDB, ele vai ser dirigido e escrito pelo Daniel Springen. E o Austin vai interpretar o personagem principal.
Bom, clique no link abaixo pra ver mais informações sobre o ator:






Até a próxima!

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

O MONSTRO QUE DESAFIOU O MUNDO

título original: The Monster That Challenged the World
título brasileiro: O Monstro que Desafiou o Mundo
ano de lançamento: 1957
país: Estados Unidos
elenco principal: Audrey Dalton, Hans Conried, Tim Holt
direção: Arnold Laven
roteiro: David Duncan e Pat Fielder

Em 1957, um terremoto mais forte que o comum acontece no fundo de Salton Sea, um lago de água salgada na Califórnia.
Poucos dias depois, várias pessoas começam a desaparecer sem explicação quando entram no lago. E os cadáveres reaparecem depois com todo o sangue drenado inexplicavelmente...
Grandes borras de gosma também começam a aparecer nas margens do lago e nos barcos que passam por ali, mas ninguém entende o que é aquilo...
Liderados pelo Tenente John, alguns membros da Marinha dos Estados Unidos vão sondar o lago pra ver o que há ali. E depois que 2 mergulhadores do grupo entram na água, eles veem a causa do problema. Ou pior: a causa do problema vê eles!

O Monstro que Desafiou o Mundo (título meio exagerado, já que as criaturas que aparecem aqui não chegam nem a atacar a Califórnia inteira, menos ainda o Mundo) é mais um filme de monstros pré-históricos. Mas, como uma boa quantidade de filmes de monstros dos anos 50 (como Monster from the Ocean Floor, de 1954, e A Ilha do Pavor, de 1957), ele não deixa de mencionar a radiação atômica causada por testes nucleares como um dos motivos dos problemas que os heróis tão enfrentando: se as criaturas pré-históricas que tão atacando os humanos ali já tão causando tragédias, o fato da água do lago ser radioativa tá fazendo elas crescerem mais rápido do que o normal, transformando elas em monstros gigantes no mesmo dia em que saem de seus ovos.
A aparência das criaturas também é meio... eclética. Uma mistura de caramujo com lagarta de jardim. É que, de acordo com o filme, eles são moluscos pré-históricos (inclusive, o corpo deles termina em concha de caramujo); mas, como um todo, eles lembram muito mais lagartas mesmo.
Também dá pra ver que a produção só teve grana pra fazer 1 boneco, pois vários monstros são vistos ao longo do filme, mas só aparece 1 em cada cena.
Pros padrões dos anos 50, até que O Monstro que Desafiou o Mundo tem cenas relativamente agressivas. Mas nada que não passe num desenho animado de hoje.
Também tem algumas partes bobas, como um homem que morre de derrame cerebral porque levou um susto ao ver um dos monstros e uma longa e desnecessária cena de jantar entre o John e a secretária do gabinete onde ele trabalha. Mas, descontando uma bobagenzinha ou outra, é um bom filme.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre O Monstro que Desafiou o Mundo:

http://hipercecgb.blogspot.com/2016/07/caramujos-pre-historicos-com-cara-de.html

E dê uma clicada aí do lado em ‘monstros gigantes’ que você acha post sobre A Ilha do Pavor e Monster from the Ocean Floor.
Até a próxima!

sábado, 13 de outubro de 2018

ARYAN VAID

Depois de já ter até sido eleito Mister Índia no ano 2000, o indiano Aryan Vaid só começou a trabalhar como ator em 2002, já com 31 anos.
E nos últimos anos, ele tem sido um dos atores mais populares da Índia, por ter participado do reality show Bigg Boss (2006), a versão indiana do BBB, e do filme Dunno Y... Na Jaane Kyon (2010), o 1º filme indiano de temática gay a ser feito com a intenção de ser exibido na Índia, já que filmes indianos com esse tema só tinham sido feitos até ali pra serem exportados pra outros países.
Já na área do terror, o único trabalho do Aryan até agora foi no filme Ghutan (2007).
Nesse filme, ele interpreta um golpista que se casa com uma mulher rica e mata ela pra ficar com a fortuna. Mas o espírito dela volta, trazendo uma vingança sobrenatural em fase extrema contra o marido cafajeste...
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre o Aryan:


Até  a próxima!

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

O ESCORPIÃO NEGRO

títulos originais: El Escorpión Negro / The Black Scorpion
título brasileiro: O Escorpião Negro
ano de lançamento: 1957
países: Estados Unidos / México
elenco principal: Carlos Rivas, Mara Corday, Richard Denning
direção: Edward Ludwig
roteiro: David Duncan, Paul Yawitz e Robert Blees

No interior do México, um vulcão entra em erupção com uma força nunca vista antes.
Os cientistas Arturo e Hank viajam pela região, investigando a situação. E além de ouvirem um estranho rugido vindo das proximidades, também encontram alguns povoados destruídos. Mas não pelo vulcão... Pelas marcas deixadas, a devastação ali parece ter sido causada por um animal muito grande, muito forte e muito feroz!
Eles não demoram a fazer amizade com a fazendeira Teresa, dona daquelas terras. E durante uma visita à fazenda dela, a residência é atacada por um escorpião gigante, que só sai dali depois de causar grande destruição!
Diante disso, o Arturo, o Hank e a Teresa se juntam a outros cientistas e às autoridades locais pra tentar localizar e destruir o monstro. E acabam encontrando uma profunda cratera no chão ao lado do vulcão, aberta pelas recentes erupções.
Tudo demonstra que o escorpião gigante é uma criatura subterrânea que conseguiu subir pra superfície através daquela cratera. E assim, o Arturo e o Hank vão ter que descer até lá pra tentar resolver o problema.
Mas não vão demorar a descobrir que aquele escorpião não é o único monstro gigante que vive ali...

Produzido nos Estados Unidos, O Escorpião Negro teve todas as suas cenas gravadas no México.
É um bom filme, se comparado aos seus ‘colegas’ feitos na mesma época e com o mesmo tema (não se esqueçam de que os filmes de monstros gigantes nos anos 50 eram tão comuns quanto os slashers que se passavam em clubes e colônias de férias nos anos 80). Exemplos: Monster from the Ocean Floor (1954), A Ilha do Pavor e A Maldição do Monstro (ambos de 1957).
Dá pra ver que botaram lá umas cenas e personagens secundários só pra encher linguiça, mas isso até que passa meio despercebido.
Pra supervisionar os efeitos especiais do Escorpião Negro, eles chamaram o Willis H. O’Brien, que tinha feito o mesmo trabalho em King Kong (1933). E ele pegou algumas cenas curtas de monstros gigantes que não tinham sido aproveitadas em King Kong e usou aqui, na parte em que os heróis descem à cratera e encontram alguns tipos diferentes de aracnídeos e insetos monstruosos.
O buraco é um escorpionzeiro... Acho que essa palavra nem existe. Mas, como uma comunidade de formigas é um formigueiro e uma comunidade de cupins é um cupinzeiro, escorpionzeiro é um bom neologismo pra definir uma comunidade de escorpiões.
E o Escorpião Negro que dá nome ao filme parece ser uma espécie de rei do escorpionzeiro, já que ele é maior e mais forte do que todos os outros e acaba matando todos eles (aparentemente pra não ter concorrência na hora de se alimentar ou simplesmente por ser mais feroz).
Mas os outros escorpiões, apesar de não serem páreo pro maioral lá, também provocam muita destruição e comem muitos humanos quando vêm pra superfície.
Pra todos os fãs de filmes de aventura e de filmes de monstros gigantes, vale a pena ver esse aqui. Levando em conta, é claro, que se trata de um filme de mais de 60 anos e feito com os efeitos especiais de mais de 60 anos atrás.
Clique aqui pra ver mais informações sobre O Escorpião Negro:


E clique aí do lado em ‘monstros gigantes’ que você acha posts sobre A Ilha do Pavor, A Maldição do Monstro e Monster from the Ocean Floor.
Até a próxima!

terça-feira, 9 de outubro de 2018

ARI BOYLAND

O neozelandês Ari Boyland é mais conhecido no Brasil por ter interpretado o ranger azul da 17ª temporada de Power Rangers (2009).
Mas ele também já se envolveu com produções de terror (bem poucas até hoje).
Em 2014, o Ari apareceu em Blood Punch.
E em 2016, ele foi visto em Joker’s Wild.
Bom, clique no link abaixo pra ver mais informações sobre o Ari:











Até a próxima!

sábado, 6 de outubro de 2018

EL LADRÓN DE CADÁVERES

título original: El Ladrón de Cadáveres
título brasileiro: inexistente (inédito no Brasil)
ano de lançamento: 1957
país: México
elenco principal: Carlos Riquelme, Columba Domínguez, Wolf Ruvinskis
direção: Fernando Méndez
roteiro: Alejandro Verbitzky e Fernando Méndez

No final dos anos 50, um fato estranho começou a ocorrer no México: vários atletas começaram a morrer subitamente, os cadáveres desapareciam logo depois disso e, poucos dias mais tarde, eram encontrados com a cabeça aberta e sem cérebro!
Sem saber como resolver o caso, o policial Carlos traça um plano junto com um amigo dele, chamado Guillermo: como o Guillermo é um esportista, ele vai passar a se apresentar (sendo observado de perto pela polícia) com uma máscara e a se identificar com o nome artístico de Vampiro pra tentar atrair o criminoso que tá fazendo isso e capturar ele.
Enquanto isso, ninguém percebe que o criminoso em questão tá muito mais perto do que eles pensam, disfarçado de vendedor de bilhetes de loteria e rondando os lugares onde atletas se reúnem. Ele é um cientista louco. E rouba os cadáveres de homens mais fortes do que o comum pra implantar neles cérebros de chimpanzés, com a intenção de ressuscitar eles como mutantes com superforça. Mas as experiências dele com chimpanzés sempre falharam. E agora ele quer implantar o cérebro de um gorila no próximo cadáver que vai roubar pra ver se funciona.
E assim que vê o Guillermo, ele realmente se interessa por usar ele nessa experiência...

Aparentemente, El Ladrón de Cadáveres tentou fundir as histórias de Frankenstein (1931) e King Kong (1933). Sendo mais específico, as primeiras cenas do filme lembram bastante as primeiras cenas de Frankenstein, enquanto as últimas lembram bastante as últimas cenas de King Kong.
A história é relativamente simples. Mas o terror propriamente dito só começa lá por volta dos últimos 20 minutos do filme. Antes disso, ele funciona mais como um filme policial (fica mais ou menos 1 hora só com o tema ‘polícia tentando identificar e prender bandido e falhando’) com alguns toques simples de ficção científica.
Assim, eu não indicaria El Ladrón de Cadáveres pra quem gosta mais de histórias de ação. Mas talvez ele agrade a quem gosta de mistério.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre o filme:


E dê uma clicada aí do lado em ‘mutantes’ que você acha um post sobre Frankenstein.
Até a próxima!

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

ARCHIE KAO

O trabalho mais conhecido do washingtoniano Archie Kao no Brasil talvez seja a 7ª temporada de Power Rangers (1999), na qual ele interpretou o ranger azul.
Mas a estreia dele na área do terror foi em 2007, no filme O Retorno dos Malditos.
O filme é uma continuação de Viagem Maldita (2006), que, por sua vez, é um remake do filme Quadrilha de Sádicos (1977).
Embora a história seja basicamente a mesma (uma família que é atacada ao atravessar um deserto), o vilões foram bem alterados de uma versão pra outra: no original, eles eram simplesmente um bando de caipiras criminosos que torturavam e matavam as pessoas que passavam pelos domínios deles por sadismo; no remake, eles são uma raça de mutantes antropófagos que capturam todos os humanos que conseguem com a intenção de matar e comer (o deserto onde eles vivem foi usado pra testes nucleares no passado e os tais mutantes são o que sobrou dos mineiros que moravam na região e se recusaram a sair dali enquanto os testes eram realizados, ficando expostos à radiação nuclear).
Embora tenham recebido títulos diferentes no Brasil, tanto o filme original de 1977 quanto o remake de 2006 têm o mesmo nome nos Estados Unidos: The Hills Have Eyes.
E em 2014, o Archie protagonizou o filme de terror The Deathday Party.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre o ator:


Até a próxima!